Lei da pureza alemã: o que é?

Lei da pureza alemã: o que é?

Lei da pureza alemã: o que é?

Caso você esteja ligado ao que acontece no universo cervejeiro, certamente já deve ter ouvido ou visto por aí esse palavrão: Reinheitsgebot. Esse é o nome do decreto, ou lei da pureza, criada em 23 de abril de 1516, pelo duque Guilherme V da Baviera, para disciplinar a produção cervejeira na Alemanha. A lei instituiu que a cerveja do território da Baviera somente poderia ser produzida utilizando três ingredientes: a água, o malte de cevada e o lúpulo. Mas e a levedura? Na época, não se sabia que ela era a responsável pela fermentação e o microrganismo ficou fora dessa versão.

Por um lado, a lei garantia que os consumidores da época tivessem à disposição somente cervejas puras, sem aditivos ou ingredientes que pudessem lhes fazer mal. Por outro, há quem diga que a lei teria podado um pouco a criatividade dos cervejeiros, mas é algo difícil de concordar quando se vê a variedade e qualidade dos estilos cervejeiros que definem a escola alemã. Porém, pelo que conta a história, não foi a preocupação com a qualidade a única motivação da lei. Na verdade, parece que a motivação real foi econômica, restringindo o uso do trigo para outros alimentos e diminuindo o poder da igreja, que era a fornecedora de gruit (uma mistura de ervas que era utilizada no lugar do lúpulo).

baixar e-book

No ano passado a lei da pureza alemã completou 500 anos e é considerada um dos decretos alimentares mais antigos em vigência no mundo. Porém, a lei da pureza que hoje é utilizada lá na Alemanha não é exatamente a mesma que o duque promulgou em 1516 e funciona mais como uma “orientação” do que uma lei real, só obedecendo quem quiser. Atualmente, ela faz parte de um documento maior chamado Bersteuregesetz ou lei de taxação da cerveja, que possui algumas modificações, como o reconhecimento da levedura e abrindo a possibilidade de explorar outros ingredientes, como o malte de trigo e açúcares.

Apesar de atualmente estarem surgindo exemplares cervejeiros que indicam o surgimento de uma nova escola alemã, uma grande parcela dos cervejeiros continua a seguir as prescrições da lei na Alemanha e mesmo aqui no Brasil encontramos variados rótulos citando que a cerveja foi produzida “de acordo com a lei da pureza alemã”, o que para muitos é considerado sinônimo de qualidade. Porém, como vimos em outros artigos, existe uma infinidade de cervejas, de outras escolas cervejeiras, que mesmo não respeitando a lei da pureza também são muito boas. Deguste uma das cervejas da Gram Bier e ateste essa qualidade!

Por Taís Suhre
Biotecnologista
Sommelière de Cervejas
Especialista em Tecnologia Cervejeira

Junte-se aos nossos assinantes.

Receba as notícias do nosso blog, quentinhas, direto do forno.